Bandeira do Japão
Bandeira do Japão (Foto: Reprodução/Internet)

Uma das principais potências econômicas do mundo, mas com histórico de conservadorismo e de restrição à comunidade LGBT, o Japão deu um passo importante para conter a discriminação contra essa população em seu território.

Agora, a discriminação às LGBTs em Tóquio passa a ser considerada crime. Além de punir aqueles pegos em atos LGBTfóbicos, a comunidade arco-íris local terá o direito de visitar seus pares em hospitais, por exemplo.

Leia mais:


Após eleições, Grindr pede que gays brasileiros tenham cuidado com a violência

Eleitores de Bolsonaro propagam fake news envolvendo a comunidade LGBT

A modernização na lei da capital japonesa deve-se, em parte, ao fato do país asiático ser a próxima sede dos Jogos Olímpicos, que acontecerão em 2020.

É importante ressaltar que, apesar do conservadorismo, dentro da Ásia, o Japão é um dos países mais progressistas quando levado em consideração as necessidades das lésbicas, gays, bissexuais e transgêneros. Algumas cidades como Fukuoka, por exemplo, reconhecem a união entre pessoas do mesmo sexo.

 

1 COMENTÁRIO

  1. Conquanto a medida seja louvável, não se pode olvidar o fato de que para a maior parte dos japoneses os “iro iro na minzoku” (forma “politicamente correta” para referir-se aos homossexuais. ASlgo como “povo multifacetado ou furtacor”em tradução livre) são “seishin byôrigaku teki na byôki” (psicopatologicalmente enfermos) e a discriminação velada continua sendo grande, desde a Restauração Meiji em 1.864, pois anteriormente, o homossexualismo, desde que entre pessoas do mesmo estamento social, era respeitado.

DEIXE UMA RESPOSTA