Matthew Shepard, morto por homofobia há 20 anos
Matthew Shepard, morto por homofobia há 20 anos (Foto: Reprodução/Facebook)

O estudante Matthew Shepard, morto em 1998, aos 21 anos, em Washington, nos Estados Unidos, após sair para um encontro com dois homens em uma área rural, terá as suas cinzas enterradas na Catedral Nacional de Washington. Ele teria 40 anos hoje.

Para o bispo Budde enterrar Matthew na Catedral será um ato muito simbólico de inclusão e luta contra a violência. No local estão enterradas personalidades importantes como o presidente dos EUA Woodrow Wilson.

Os pais de Matt, Judy e Dennis Shepard foram acolhidos pela Catedral, que com os avanços dos direitos LGBT passou a permitir casamentos homoafetivos desde 2010, além de ser a primeira a ter um sacerdote transexual.


Judy e Dennis viram na morte do filho o momento para pregar sobre a paz e o combate dos discursos de ódio pelo mundo, além de fundarem a The Matthew Shepard Foundantion, organização pela qual conscientizam sobre crimes de ódio contra pessoas LGBT.

LEIA MAIS:

Grupo LGBT do PSDB repudia apoio de João Dória Jr. a Bolsonaro

Brunno Hernandez lança clipe em parceria de Kaya Conky; Assista “Quebra Mais”

Matthew foi morto por dois homens que conheceu em um bar da cidade de Laramie, no estado de Wyoming, após alguns minutos de conversa, os agressores se ofereceram para levar a vítima para casa, porém, ao invés disso, o levaram para uma área rural e começaram a espancá-lo.

Após ser brutalmente torturado, ele foi amarrado em uma cerca próxima ao local. Após quase 18 horas agonizando, o jovem foi encontrado por um ciclista ainda com vida e o levou a um hospital no qual ficou internado por seis dias, mas acabou não resistindo. Os autores do crime foram identificados e sentenciados à prisão perpétua.