Egas e Becas personagens da Vila Sésamo
Egas e Becas personagens da Vila Sésamo (Getty Images)

O caso envolvendo o ativista LGBT, Gareth Lee, e um confeiteiro que se recusou a fazer um bolo conforme encomendado pelo homem gay acabou indo parar no Supremo Tribunal da Irlanda do Norte, em Belfest.

Há cerca de 4 anos, Lee foi até a confeitaria Ashers Bakery e encomendou um bolo com a imagem dos personagens da Vila Sésamo Egas e Becas, com a frase “apoie o casamento gay”.

Cristão, o confeiteiro se recusou a preparar a encomenda por preceitos religiosos, o que levou o ativista a acionar a Justiça contra a confeitaria.


Leia mais:

Mais da metade da bancada evangélica não conseguiu se reeleger

Banheiro de escola tradicional do Rio é pichado com mensagem de apologia à morte de lésbicas

De acordo com informações da BBC News, a defesa da empresa alega que o ativista fez a encomenda em “tom de provocação”. Já a acusação afirma que Gareth Lee não tinha conhecimento das crenças do funcionário.

Em 2016 o Tribunal decidiu que houve discriminação contra Lee motivada por sua orientação sexual. O acusado recorreu e a última instância de julgamento ocorrerá nesta quarta-feira (10).

A Irlanda do Norte é o único país que integra o Reino Unido onde a união entre pessoas do mesmo sexo não é reconhecida por lei.