Prédio do condomínio de casal LGBT que foi obrigado a retirar cortina com as cores do arco-íris
Prédio do condomínio de casal LGBT que foi obrigado a retirar cortina com as cores do arco-íris (Foto: Reprodução/Vice)

Um jovem gay morador de um condomínio em São Paulo, localizado na famosa rua Augusta, onde mora há pelo menos cinco anos, alega ter passado a ser hostilizado e alvo de ataques homofóbicos dos vizinhos após colocar uma cortina nas cores da bandeira símbolo da comunidade LGBT na janela da sua casa.

À revista Vice, o geólogo Francisco Campos, de 28 anos, e que divide o apartamento com o namorado Gabriel Facuri, 30 anos, contou que as primeiras reclamações aconteceram dois dias depois da peça de decoração ter sido colocada. Um funcionário do prédio chegou a advertir o casal a retirar a cortina, após reclamações dos moradores, que também não quiseram conversar pessoalmente com eles.

“Após nossa contestação por escrito, a administração disse que nossa cortina não se trata de uma cortina e que pode ‘interferir e influenciar na valorização do patrimônio’”, disse Francisco em uma publicação nas redes sociais.


LEIA MAIS:

Boate LGBTQ Flexx Club desmente post sobre apoio a Bolsonaro: “Conta hackeada”

Mister Gay Brasil declara apoio a Bolsonaro

O rapaz ainda contou que foi ameaçado a todo momento junto com o seu companheiro a pagar uma multa. Os responsáveis afirmaram que a cortina infrigia a norma condominal.

“É estritamente vedado colocar ou fixar toldos, placas, letreiros de propaganda, ou quaisquer outros objetos nas janelas das unidades autônomas ou na fachada do edifício, excluídas desta proibição tão somente as lojas”, diz o documento enviado aos dois.

Apesar de ceder à pressão dos outros moradores e ter retirado a cortina com as cores da bandeira LGBT, mesmo assim o casal foi multado pela administração do condomínio.