Bruna Marquezine
PARIS, FRANCE - OCTOBER 02: Bruna Marquezine attends the Miu Miu show as part of the Paris Fashion Week Womenswear Spring/Summer 2019 on October 2, 2018 in Paris, France. (Photo by Dominique Charriau/Getty Images for miu miu)

Uma das atrizes mais influentes do país, seguida por mais de 30 milhões de pessoas no Instagram, Bruna Marquezine desabafou sobre um colega que foi violentamente agredido por divergências políticas.

A revelação foi feita durante coletiva de imprensa, quando foi questionada sobre eleições para presidente e, mais precisamente, se ela já havia brigado com algum parentes por causa do assunto.

Leia mais:


Ex-diva gay, Ines Brasil reafirma apoio a Bolsonaro

“Se você ama seus amigos vote em Haddad”, pede Pabllo Vittar

Marquezine ressaltou que evita atritos motivados por divergências político-ideológicas, embora “seja uma situação difícil”. A atriz já se manifestou em duas ocasiões contra a candidatura de Jair Bolsonaro – “Ele [Bolsonaro] só propaga o ódio”, afirmou a famosa.

“Eu não acho que a gente tem que entrar no ódio. Passei a tarde me arrumando vindo para cá tremendo, porque uma pessoa do nosso meio foi espancada na rua, um homossexual. Perdeu a memória, vai ter que operar o maxilar. Já está tudo perdido, isso me desespera muito! Eu não gostaria de brigar com pessoas que eu amo, porque eu acho que a gente começa a vibrar nessa energia que essa pessoa está trazendo. Eu tento evitar isso [brigar] ao máximo, mas é difícil. Vai além da opinião política. Você começa a ver valores diferentes, vai para outro lugar a discussão. Eu tento não brigar com as pessoas. Até porque é o meu ponto de vista, o que eu acredito. Cada um tem uma opinião, a gente tem que entender que não existe uma verdade única”, explicou a atriz.