Escola do Rio amanheceu com citação homofóbica
Escola do Rio amanheceu com citação homofóbica (Divulgação)

Cada vez mais seguros da onda fascista que se avizinha do Brasil, os homofóbicos estão pondo suas garras para fora e pregando o terror à comunidade LGBT, a exemplo de uma tradicional escola do Rio de Janeiro, onde pregaram a morte de mulheres lésbicas.

De acordo com informações do colunista Ancelmo Gois, do jornal O Globo, um dia após a votação do primeiro turno das eleições, o banheiro feminino do colégio Liceu Franco-Brasileiro apareceu com uma mensagem sucinta e direta: “Sapatas vão morrer, kkk”.

Após o caso vir à tona, a diretora pedagógica da instituição emitiu nota repudiando o atentando às liberdades individuais de cada um.


Leia mais:

Escultura em homenagem a luta LGBT é alvo de vandalismo em São Paulo

Após polêmica, Segundo Sol terá um “trisal”

“Hoje, pela manhã, fomos surpreendidos com uma pichação no banheiro feminino cujo conteúdo expressava intolerância contra minorias. Somos uma instituição que se firmou no cenário desta cidade e deste país como escola que preza o respeito às diversidades e, portanto, não aceitaremos qualquer tipo de manifestação preconceituosa, a qual será combatida com firmeza”, diz o comunicado da escola.

O autor da pichação ainda não foi identificado. Pais dos alunos levantaram a hipótese de alguém de fora ter escrito as palavras homofóbicas, uma vez que no domingo das eleições a escola serviu como lugar de votação.