Artistas LGBT se unem pela candidatura de Fernando Haddad
Artistas LGBT se unem pela candidatura de Fernando Haddad (Reprodução)

A poucas horas do país conhecer seu próximo Presidente, artistas LGBT ou simpatizantes da causa, reafirmaram seu voto em Fernando Haddad.

Através das redes sociais, Pabllo Vittar se manifestou, mais uma vez, e declarou voto no petista. Johnny Hooker fez uma apresentação-manifesto e postou o vídeo em sua conta na plataforma.


Aretuza Lovi postou foto de Haddad e legendou: “unidos venceremos”. Enigmática, Gloria Groove divulgou um vídeo falando sobre resistência. Daniela Mercury também se manifestou. Pitty compartilhou post repudiando o fascismo. Karol Conka também se posicionou a favor de Fernando Haddad.

View this post on Instagram

Unidos venceremos #13

A post shared by Aretuza Lovi (@aretuzalovi) on

https://www.instagram.com/p/BpejvVenCjR/?taken-by=danielamercury

Leia mais:

26º edição do Mix Brasil terá participação de Linn da Quebrada e Johnny Hooker

Ator que interpreta Freddie Mercury se recusa a chamá-lo de “ícone gay”

Silvero Pereira replicou a campanha “vira voto” em prol do petista. Ícone da noite paulistana, Silvetty Montilla ressaltou a resistência das minorias sociais ao declarar voto no ex-prefeito de São Paulo.

View this post on Instagram

Fiz a minha parte . Bom dia faça vcs também .

A post shared by Silvetty Montilla (@silvettymontilla) on

Conhecida por estrear reality na TV e por ter como principal inspiração artística a cantora Lady Gaga, Penelopy Jean endossa a campanha de artistas LGBT pró-Haddad.

Nome conhecido da cena drag de São Paulo e mestre de cerimônias da Parada do Orgulho LGBT do estado, Tchaka compartilhou um textão explicando o por que de seu voto no petista. Lorelay Fox também se tornou adepta do “vira voto” pró-Haddad.

View this post on Instagram

TEXTÃO! Sou resistência na infância já apanhei muito na escola por ser afeminada, alguns de meus irmãos me feriram profundamente com seus comportamentos trasvestidos de "é para o seu bem e para não manchar o nome da família Bastos", meu pai machão clássico exigia que eu tivesse um comportamento de "homem", minha mãe me chamava de Mariquinha Pão Doce por ser fã dos Menudos e colocar o cabelo atrás da orelha rs.. na adolescência apanhei na rua por ser bem Poc Poc (sim apenas por isso apanhei), entrei na faculdade de direito na Universidade Brás Cubas e também sofri ameaças de levar porrada, certa vez escreveram no banheiro da facul que "Viado da sala 138 tinha que morrer" eu era esse viado o único assumido em minha sala. Na fase adulta a arte de interpretar me abraçou e possibilitou que eu pudesse ser eu mesma e mais ainda a arte drag queen me liberta todos os dias. Minha maior inspiração RuPaul diz: "Ser Drag Queen é dizer FODA-SE ao mundo que quer me colocar nos padrões de masculinidade impostas e escravizadas por esse mesmo padrão", ter conhecido o maridão Carlito Silva e aprender com ele que a liberdade de sermos o que somos me faz feliz e possibilita o outro também ser feliz, agradeço ao universo todos os dias por esse encontro de almas. Depois de muito tempo já refeita dos traumas vividos no passado começo a sentir medo pela minha vida e das pessoas que são como eu nesse "Brasilsão" mas também me sinto preparada para ajudar essas pessoas a enfrentar esse medo. Meus dengos não posso ser exemplo para ninguém porque sei que cada um tem sua trajetória, vivência, oportunidades, etc mas se de alguma forma alguns de vcs se inspiram na luta, arte e vontade de dar certo igual a TchaKa e também estão com o mesmo sentimento de pavor e medo do que vem pela frente, respirem fundo e acalmem seus corações … continuem seus estudos, abram suas mentes e sejam também a resistência que vcs veem em mim. Eu ator Valder Bastos voto #13 e confirmo

A post shared by Tchaka Drag Queen (@tchakadragqueen) on