Bandeira trans
Bandeira trans (Foto: Reprodução)

A Polícia de Sigefredo Pacheco, interior do Piauí investiga um crime supostamente motivado por ódio e que vem ganhando as redes sociais, após um vídeo no qual uma travesti denuncia a agressão por dois homens começar a circular nas redes sociais. As informações são do site Cidade Verde.

A vítima que aparece nas imagens com o rosto desfigurado foi identificada como Netinha Matias, de 40 anos, e o motivo para o ataque teria sido provocado por conta de questões políticas. No registro compartilhado na web ela cita o nome do candidato à presidência da república pelo PSL Jair Bolsonaro. Às autoridades, entretanto, a motivação política foi desmentida.

LEIA MAIS:


Professor vítima de racismo e homofobia em colégio de Campinas presta depoimento

Amil rebate reclamação homofóbica de cliente sobre campanha publicitária: “Celebramos a diversidade”

Dois suspeitos de serem os autores do crime foram conduzidos à Delegacia Regional de Campo Maior para prestar depoimento. No vídeo, Netinha cita os nomes dos agressores e o motivo pelo qual a agressão ocorreu.  

“O flagrante está sendo finalizado. Até o momento, o que indica é que ela foi agredida por uma questão de mal entendimento. Todos já se conheciam. Houve uma discussão e as agressões começaram. Está se espalhando que a agressão tem cunho político, mas as pessoas estão politizando demais”, citou o delegado Andrei Alvarenga que está a frente do caso.