A professora Luiza Coppieters
A professora Luiza Coppieters (Foto/G1)

A Justiça condenou um dos maiores colégios de São Paulo a recontratar e indenizar uma professora transexual lésbica, demitida em 2015, por descriminação de gênero.

Em seu parecer, a juíza Daiana Monteiro Santos, da 2º Vara do Trabalho de Barueri, determinou que o colégio Anglo Leonardo da Vinci deverá pagar à docente Luiza Coppieters o valor de R$ 30 mil como forma de indenização.

Leia mais:


Hugo Bonemer rebate seguidora que disse que ele é um ‘desperdício’ por ser gay

Pela primeira vez, Nova York pode ter primeira-dama lésbica

“A matéria em questão refere-se à transição de gênero, do sexo masculino para o sexo feminino, de modo que o tratamento discriminatório o ambiente de trabalho após tal mudança, importa em discriminação em razão e, portanto, a distinção e exclusão praticada pelas reclamadas contra a demandante”, pontuou a magistrada em sua decisão.

De acordo com informações do portal G1, o Anglo nega que Luiza tenha sido demitida por causa de sua identidade de gênero, mas ressaltou que cumprirá com a determinação judicial e pagará o valor integral da indenização estipulada pela Justiça, bem como recontratará a professora.

 

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA