O guitarrista Tom Morello em show solo em Porto Alegre
O guitarrista Tom Morello em show solo em Porto Alegre (Foto: AGNews)

Em seu show solo realizado em Porto Alegre, neste sábado (15), o guitarrista Tom Morello, do Prophets of Rage, Audioslave e Rage Against the Machine, fez um protesto contra o assassinato da vereadora do PSOL Marielle Franco, que aconteceu em março deste ano no centro do Rio de Janeiro, e ainda não foi solucionado, mesmo após seis meses do ocorrido.

Escrito em português, o músico exibiu um cartaz colado na sua guitarra onde podia se ler: “Justiça para Marielle”. O ato foi feito durante a apresentação da música “Killing in the Name“. Nas redes sociais, fãs do artista aplaudiram a sua atitude. “Teve Killing in the Name of e teve Justiça para Marielle. Tom Morello é foda”, exclamou um internauta.

Em entrevista aos jornalistas neste domingo (16), Morello explicou o motivo da manifestação. “Como no meu país, os Estados Unidos, o Brasil vive um momento de crise democrática. O assassinato sem solução da Marielle é um exemplo que mostra isso. Eu quis mostrar meu apoio e solidariedade aos brasileiros que lutam pelos pobres, pelos trabalhadores, pelo meio ambiente e contra o fascismo. É por isso que eu toco e é esta mensagem que estou levando ao palco hoje”, disse.


LEIA MAIS:

“Ser LGBT no Brasil é assustador”, dispara Johnny Hooker

Netinho declara apoio à Bolsonaro nas redes sociais: “Tem muito a fazer pelo povo brasileiro”

A vereadora foi brutalmente assassinada no dia 14 de março enquanto saía de um evento sobre combate ao racismo, na Lapa. No momento da ação, estava no carro junto a sua assessora e o motorista Anderson Pedro Gomes, que também foi atingido pelos disparos e não resistiu. 

Em recente entrevista à AFP, a viúva da parlamentar,  Mônica Benício falou sobre o crime ser solucionado. “Não por uma questão de vingança, mas por uma questão de justiça, para assegurar que ainda existe um Estado de direito no Brasil”, analisou.

DEIXE UMA RESPOSTA