Parada LGBT de Nova Deli, na Índia
Parada LGBT de Nova Deli, na Índia (Foto: Reprodução/The New York Times)

Com a descriminalização da homossexualidade, recém anunciada na Índia no último dia 06, espera-se que a decisão deve mobilizar a economia do país, considerado um dos mais populosos do mundo.

Especialistas do setor estimam que esta sentença histórica beneficiaria a terceira maior economia da Ásia, pois prevê o surgimento de um novo mercado voltado especialmente para essa população, ainda que a homossexualidade seja um assunto tabu entre os indianos.

“Bilhões de dólares podem ser gerados para a economia indiana se a comunidade gay da Índia gastar”, apontou Keshav Suri à AFP, o hoteleiro, ativista gay e um dos peticionários responsáveis por levar a proposta de legalizar a homossexualidade à Suprema Corte.


De acordo com dados da agência de marketing Out Now Consulting, 55 milhões de adultos são LGBTs, cuja a renda nominal é em torno de cerca de 113 milhões de dólares por ano. “O valor da economia arco-íris, assim como os aspectos sociais da comunidade LGBT, agora são importantes demais para serem ignorados”, completou Suri.

LEIA MAIS:

“Continua sendo símbolo de esperança”, afirma Mônica Benício sobre Marielle Franco

Dua Lipa chora ao ter fãs gays levados pela polícia em show na China

Pensando nos membros LGBTs que têm maior poder aquisitivo que os heterossexuais, as empresas veem neste público um alvo em potencial. O indiano “representa um dos maiores mercados LGBT do mundo”, indagou o Ian Johnson, fundador da Out Now Consulting.

Marcas de bebidas e agências de turismo serão as primeiras a se dirigirem a essa comunidade. Assim como Bares, discotecas e cafés pró-LGBT também começarão a ser instalados sem risco de haver problemas com a lei.