Bandeira LGBT
Bandeira LGBT (Foto: Reprodução/Internet)

A heteronorma catequiza para um padrão rígido de sexualidade e castiga impiedosamente quem ousa olhar para além dele, o que faz com que algumas pessoas nem se questionem muito em relação à sua sexualidade, e isso é o tema do Bate-Papo Corpóreo desta quarta-feira (26), do festival Setembro é GayBoa, no Teatro Gamboa Nova, em Salvador.

O debate vai abordar justamente as experiências de pessoas que se perceberam tardiamente de uma sexualidade dissidente e fora da heteronorma, será composto por pessoas que toparam despir a alma e compartilhar sua preciosa intimidade, seus medos, dúvidas, dores e delícias de ver um mundo novo se abrir, repleto de sensações que só quem tem coragem de romper com o padrão está autorizado a sentir.

LEIA MAIS:


Festas e 23ª Parada do Orgulho LGBTI agitam fim de semana no Rio

Sam Smith fala pela 1ª vez sobre término com Brandon Flynn: “Maneira agradável”

O papo tem produção e condução da foto-ativista Adeloyá Magnoni, que vivencia em primeira pessoa essa experiência e convidou amigos e amigas para uma conversa descontraída e gostosa sobre coragem, permissão e entrega.

“Principalmente, se houver alguma atração pelo gênero aposto, arredonda-se tudo para a heterossexualidade e pronto, afinal, ela, a heterossexualidade, é compulsória!”, enfatizou Magnoni.

Serviço:

O que: Debates sobre gênero no GayBoa: Bate-papos e exibição de documentário
Quando: 26/09/2018 –  (quarta) – 18h30 – Percepções Tardias das Dissidências Sexuais – Cheguei atrasada no vale!
Quanto: Gratuito
Onde: Teatro Gamboa Nova – Rua Gamboa de Cima 03, Aflitos (atrás do Passeio Público, ao lado do quartel)

Para saber mais: https://www.facebook.com/adeloyamagnonifotoscomalma/