Renata Peron se tornou um dos principais símbolos do ativismo LGBT em São Paulo. Agora, aos 41 anos, a mulher transexual, nascida em João Pessoa, na Paraíba, tentará uma vaga no poder público como deputada federal pelo PSOL-SP, estado em que vive há 14 anos.

Em entrevista ao site Guia Gay SP, Renata, que também é atriz e cantora, contou um pouco quais são suas propostas de governo, caso seja eleita.

Leia mais:


VH1 anuncia nova temporada de RuPaul’s Drag Race: All Stars

Jogador da Geórgia se posiciona contra homofobia e receberá importante honraria da UEFA

Entre seus projetos, está a criação de um “marco legal protetivo às identidades de gênero para assegurar direitos da população de travestis e transexuais, tais como legalizar a mudança do nome e sexo, empregabilidade, e ampliação dos serviços públicos”, disse.

“Lutar pela criminalização da LGBTfobia e apoiar projetos de incentivo à cidade plena de LGBT, como ações de visibilidade dos direitos da diversidade sexual e de gênero e instituição de políticas de saúde integral da população LGBT”, ressaltou Renata Peron, que já foi vítima de violência homofóbica anos atrás, quando foi agredida por nove skinheads, em 2007, na Praça da República, o que lhe resultou na perda de um dos rins.

Para ler a entrevista completa, basta clicar aqui.

 

2 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA