juliano Laham é Luccino em Orgulho e Paixão
Juliano Laham é Luccino em Orgulho e Paixão (Foto: Divulgação/TV Globo)

Intérprete do personagem gay Luccino, em Orgulho e Paixão, Juliano Laham voltou a comentar sobre protagonizar um beijo gay na atual trama das 18h, da Globo. Em entrevista a coluna F5, do jornal Folha de S. Paulo, o ator revelou ficar incomodado com os questionamentos sobre a possibilidade da cena como se fosse um desafio a ser enfrentado.

“Às vezes me perguntam se estou preparado para um beijo gay. Acho errôneo. Como se isso fosse algo muito ruim ou errado, sabe. Tem horas que mostramos discriminação inconscientemente através das palavras. Isso acontece sem a gente perceber, mas é bom termos essa consciência e pensarmos: ‘Opa, espera aí! É preciso ter igualdade’”, afirmou.

Nos últimos capítulos da trama, o mecânico tem se aproximado de Otávio (Pedro Henrique Müller), Laham torce para que os dois engatem um romance. “Luccino merece um amor. Tenho certeza que se ele não casar, vai pelo menos ter um par romântico. Eu sinto isso e bato nessa tecla sempre”, ressaltou.


LEIA MAIS:

Primeira atriz trans de Malhação, Gabriela Loran posa nua

Gal Gadot apoia garoto que foi para escola com mochila da Mulher-Maravilha

Apesar de não revelar os próximos passos da trama, o autor Marcos Bernstein parece desejar um final amoroso feliz para o papel. “‘Orgulho e Paixão’ é uma novela que tem uma delicadeza e uma trama romântica, leve e bem-humorada. Acredito que Luccino, assim como os outros, na hora certa irá se envolver, se apaixonar e buscar seu afeto e seu bem-querer”, explicou.

Ainda sobre a questão, Juliano comemora a resposta positiva da comunidade LGBT e ressalta que não gosta de classificar pessoas de acordo com sua orientação sexual. “Vou ser muito franco: vejo todo mundo igual. Não faço essas classificações. O que a gente tem que ter é amor e respeito ao próximo. O mesmo amor que sinto por uma mulher é o que outra pessoa pode sentir por um homem. O amor existe e acho que não podemos diferenciar o que o gay sente. Para mim, isso é errôneo”, opinou.

DEIXE UMA RESPOSTA