Pastor foi preso após seis meses de investigações. Ele dava dinheiro para os menores em troca do silêncio sobre o crime
Pastor foi preso após seis meses de investigações. Ele dava dinheiro para os menores em troca do silêncio sobre o crime [Foto: PJC-MT/Assessoria)

Um pastor evangélico, de 53 anos, foi preso nesta terça-feira (28) acusado de ter estuprado meninos e adolescentes que frequentavam a sua igreja, localizada no bairro Mangabeira, em Várzea Grande, região metropolitana de Cuiabá.

Cerca de 10 menores teriam sido abusados, sete deles foram identificados e confirmaram o crime para a Polícia Civil, através de depoimentos dados pelas próprias vítimas ao delegado Cláudio Alvares Santana, da Delegacia Especializada do Idoso, Criança e Adolescente (Deddica).

A prisão aconteceu depois de quase sete meses de investigação. Apesar das acusações, o religioso negou os estupros, mas confessou que dava dinheiro aos garotos. Os abusos foram descobertos depois que uma mãe descobriu que o filho era abusado e denunciou o homem à polícia.


“A mãe de duas dessas vítimas disse que um deles mudou de comportamento. Comprava coisas e aparecia com dinheiro em casa. Ele dizia [para a mãe] que o suspeito dava o dinheiro como presente. A mãe não desconfiava pela condição dele ser religioso”, contou o delegado ao G1.

LEIA MAIS:

Após ser violentada, travesti é abandonada em canavial no Paraná

Forças Armadas da Suécia lançam campanha LGBT com soldados

“O suspeito se valia da condição de ser pastor evangélico para se aproximar das famílias [das vítimas] conquistando a confiança, se aproximando das crianças. Ele fazia o convite para ir até a casa dele dar conselhos e fazer leituras religiosas”, explicou Santana.

Sozinhos ou sem a presença de adultos, o pastor então abusava das crianças. “Existem relatos que ele praticou [os abusos] na frente de duas, três e outras crianças, que assistiam. Depois, ele dava dinheiro em quantias que iam de R$ 10 até R$ 50”, disse.

O pastor vai responder por estupro de vulnerável e corrupção de menores. O suspeito foi encaminhado ao Centro de Ressocialização de Cuiabá (CRC), o antigo Carumbé, em Cuiabá.

DEIXE UMA RESPOSTA