Johnny Hooker
Johnny Hooker (Foto: Divulgação)

As declarações do cantor pernambucano Johnny Hooker feitas durante o Festival de Inverno de Guaranhuns (FIG), no último dia 27, nas quais chegou a afirmar que Jesus é “travesti” criando uma verdadeira polêmica, com direito a abertura de uma notícia-crime que pode fazê-lo ir preso, ganhou apoio da Organização das Nações Unidas (ONU).

Através do seu perfil no Twitter, a entidade defendeu o artista, na quarta-feira (1°). “Usando a arte para sensibilizar a sociedade sobre os direitos das pessoas LGBTI, o cantor Johnny Hooker é Campeão da Igualdade da Campanha ‘Livres e Iguais’ no Brasil. Saiba mais sobre o artista e seu trabalho na ONU”, escreveu. Logo abaixo, afirmava: “Solidariedade a Johnny Hoocker – contra os ataques de ódio e discriminação”.

Apesar do apoio, Hooker tem sofrido represálias por causa da repercussão do caso que vem afetando o seu trabalho, já que ele se viu obrigado a cancelar um show que faria em Fortaleza no Pirata, marcado para o próximo dia 11 após sofrer ameaças, de acordo com informações do jornal O Povo.


LEIA MAIS:

Aposta do pop indie, Rubinger lança novo single; Ouça “Bom Senso”

Jovens são expulsos de táxi após motorista perceber que eles eram gays

Em nota oficial, a equipe do músico diz apenas que a decisão foi tomada “por razões de força maior”. O discurso de Johnny fez parte da sua apresentação no FIG, em protesto contra o veto feito pelo Governo da peça “O Evangelho Segundo Jesus: Rainha do Céu”, protagonizado pela atriz travesti Renata Carvalho que interpreta uma versão trans de Cristo.

O ingresso já comprado valerá para a nova data realocada para o dia 14 de outubro. No caso de reembolsos ou dúvidas, a equipe de Hooker pede para que seja enviado um e-mail para: reembolsojohnnyhooker@hotmail.com. “Pedimos desculpas pelo transtorno, estamos ansiosos para esse encontro em breve novamente”, diz a nota.