Pabllo Vittar no clipe Então Vai
Pabllo Vittar [Foto: Reprodução/Instagram]

A ascensão da drag queen Pabllo Vittar na música brasileira será o tema do Conexão Repórter, desta segunda-feira (27), no SBT. Em entrevista ao jornalista Roberto Cabrini, ela lamentou a discriminação sofrida pela comunidade LGBT no Brasil.

“[É um país] muito homofóbico, preconceituoso, transfóbico, racista pra caramba. Eu vejo isso todos os dias”, afirmou a cantora acrescentando que não trabalha para os moralistas.

“Para as outras, a gente quer levar informação. Quer mostrar que a gente é capaz. Quer mostrar que nós, LGBTs e gays, temos caráter, trabalhamos, temos sim os mesmos direitos… E a gente pode fazer o que quiser. Posso exercer qualquer função no mercado de trabalho, porque eu sou capaz disso. A minha sexualidade, a minha condição sexual, não me incapacita, não me faz menos. Provo isso para mim mesma, todos os dias.”


LEIA MAIS:

Aliado da causa LGBTQ, senador americano John McCain morre aos 81 anos

Cena de beijo entre Maura e Ionan em Segundo Sol é alvo de críticas nas redes sociais por sugerir “cura gay”

Gênero fluído, Pabllo explicou que não tem preferência em ser chamada pelo gênero masculino ou feminino. “Muitas vezes as pessoas ficam chocadas. Quando ando na rua, lá na minha cidade, as pessoas se perguntam: ‘É ela? É ele?’. Tanto faz, acho que a gente está na vida para ser múltiplo”, disse.

Ainda na entrevista, a intérprete de “Problema é Seu” falou sobre a infância e disse que não sentiu falta da figura do pai em sua criação. “Eu nem cheguei a conhecer meu pai. Essa força masculina que a gente encontra em figuras que geralmente vem dos pais eu recebi muito dos meus tios, dos meus amigos, do meu avô, pai da minha mãe, das pessoas que estavam comigo por perto”, contou.

21 COMENTÁRIOS

  1. então é normal eu me e minha filhar nos sentirmos constrangidos quando vemos dois homens se beijando..
    ai eu tenho que aceitar que isso e normal..
    fala serio, normal e um home e uma mulher!! não sou obrigado aceitar.
    cada um faz o que quer, mais reflita sobre isso ..

    imagina se no momento da criação ou da evolução entendam com quiserem, existisse dois seres do mesmo sexo, nos não estaríamos aqui falando sobre esse assunto concordam?

  2. acho que o livre arbítrio te libera, agora preocupar-se com religiosidade, esqueçam a bíblia, quando ainda a prática homossexual, porque não é aceita e nunca será, e não tem nada haver sobre homofóbico ou não.

  3. Respeite o próximo, procure aprender a ter educação numa escola ou com um orientador, para ser artista não precisa ofender a posição de ninguém, se acha aqui muito difícil , saia do país, se for para algum desenvolvido, verá que a liberdade de um acaba quando começa a do outro, se for para um subdesenvolvido terá o mesmo problema que aqui, só que será difícil ter apoio midiático, a não ser que seja um país com orientação socialista anárquico, pré-bolivariano(espero que não) como o nosso.
    Boa sorte e boa viagem !

  4. O BOL ADORA ESSA NOJEIRA EU ACHO QUE NIGUEM DA REDAÇÃO NÃO TEM FILHOS NETOS NÃO POUCA VERGONHA MAL EXEMPLO PARA AS CRIANÇAS COLOCAR UM MARGINAL DESTE NO CRIANÇA ESPERANÇA

    NUNCA ESSE PAIS VAI ADIANTE TENHO NOJO DE TODO VOCES

  5. Não, meu caro babaca… não é homofobia nem machismo, o problema é a sua falta de talento e esse lixo “musical” que você apresenta… por acaso, alguma vez você viu, Renato Russo, Elton John, Ana Carolina, Marina Lima, Daniela Mercury, Fred Mercury e outros grandes nomes (todos gays assumidos) serem criticados por qualquer motivo ou até mesmo por conta de sua opção sexual? É claro que não, e o motivo é simples, todos transbordam talento, coisa que você jamais terá.

  6. O que essas pessoas querem mais hein? Que saco! Fazem o que querem, mas se alguém falar que não gosta de alguma coisa já é homofobia. Pra mim ela não canta bem e isso não tem nada haver com homofobia. Tem que dizer que gosta de tudo? Ninguém é obrigado a gostar de mim, independente de seu ser hétera, gay, mulher, homem, negra, branca, alta, baixa, magra, gorda, etc. Todos nós sofremos algum tipo de preconceito.
    A gente tem que tratar as pessoas como a gente gostaria de ser tratado, só isso.

  7. Concordo com vc, por isso vou te indicar uns Paises pra vc se mudar pra lá vc é todos com a sua orientação sexual, Iêmen, Irã, Iraque, Arábia Saudita, Mauritânia, Nigéria, Somália… e boa viagem.

  8. acho engraçado que aqui no nosso país tudo pode, mulher fazendo as pessoas engolir que quer ser homem achando que tem pipiu, e homem querendo e impondo para que o chama de mulher , cantora loirona kk e tudo mais , quando ja se viu um homem com os orgãos masculino querendo dar uma de mulher achando que tem xexeca

  9. Ele ate’ pode ter razao, mas errou feio na generalizacao e por expressar odio em seu comentario. Rrespeito e’ uma via de mao dupla, senhor Pablo!

DEIXE UMA RESPOSTA