O líder LGBT baiano Marcos Cruz Santana morto em Itororó com a genitália mutilada
O líder LGBT baiano Marcos Cruz Santana morto em Itororó com a genitália mutilada (Foto: Reprodução/Facebook)

O líder LGBT Marcos Cruz Santana, 40 anos, foi encontrado morto na madrugada do sábado (18), em Itororó (a 547 quilômetros de Salvador) com diversas perfurações no corpo feitas com objetos cortantes provavelmente uma faca e a genitália mutilada. As informações são do site Itororó Já.

Conhecido como “Marquinhos Tigresa”, a vítima era conhecida pelo seu trabalho frente a
diversidade, através das suas causas sociais e por promover eventos ligados a comunidade
LGBT por toda a região do sudoeste da Bahia. O caso deixou a população local indignada com o crime. A polícia investiga a motivação para o assassinato.

LEIA MAIS:


“Fui eu que expliquei ao Lula que homossexual não era doença”, lembra Marta Suplicy

Amigos gays sofrem ataque homofóbico feito por cinco homens na Ucrânia

O presidente do Grupo Gay da Bahia (GGB), Marcelo Cerqueira, classificou a morte de Marquinhos como a “mais concreta expressão da homofobia”, por causa dos requintes de crueldade utilizados no momento da execução, o que torna uma característica deste tipo de crime.

“Estes crimes ocorrem devido à impunidade, uma vez que os agressores, quando presos, não ficam por muito tempo na cadeia”, ressaltou Cerqueira.