LGBTfobia
LGBTfobia (Foto: Reprodução)

A homofobia foi a motivação para a morte do cabeleireiro Heberson Júnior Cavalcante de Almeida, de 23 anos, é o que concluiu a investigação da Polícia Civil, em Dourados, município localizado a 229 km da capital Campo Grande, no Mato Grosso do Sul.

Três suspeitos do crime foram apreendidos, assim como a faca utilizada para o assassinato. De acordo com informações divulgadas nesta segunda-feira (27) pelo Serviço de Investigações Gerais (SIG), da Polícia Civil, um dos autores do crime, o mais velho, com 30 anos, confessou que esfaqueou a vítima “porque tem aversão a homossexuais”, afirmou o delegado Rodolfo Daltro ao G1.

Heberson foi encontrado morto em uma construção abandonada no último dia 13, mas ele foi assassinado três dias antes ao ser rendido pelo suspeito mais novo, de 23 anos, quando saía de uma loja de conveniência onde tinha ido comprar um refrigerante. O bandido deixou o cabeleireiro no cativeiro para o comparsa ajudar a cuidá-lo enquanto o carro dele era levado para Capitán Bado, no Paraguai.


LEIA MAIS:

Em teste de avaliação, tropa de elite da marinha classifica “homossexualismo” como algo criminoso

Gays e mulheres são mais passíveis a sofrer assédio em viagens a trabalho, afirma pesquisa

Conforme relato do próprio criminoso mais velho, horas após a saída do companheiro, ele agrediu a vítima até a morte. O motivo para o ódio aos homossexuais seria um desentendimento que teve com um colega de cela gay, quando ele foi detido por nove anos.

Os três envolvidos foram autuados por latrocínio, que é o roubo seguido de morte, e também por associação criminosa.