bandeira lgbt
Bandeira LGBT (FOTO: Reprodução/Internet)

Um estudo elaborado pela consultoria em segurança Drum Cussac, tendo como foco as viagens a negócios, concluiu que mulheres e pessoas LGBTQ são os mais vulneráveis a sofrer discriminação e assédio.

O relatório aponta que 70% dos compradores acreditam que mulheres correm mais riscos que os homens em viagens corporativas, indicando que 67% das pessoas do sexo feminino se disseram inseguras durante às viagens.

LEIA MAIS:


Shopping da Bahia promove semana LGBT

Time de futebol alemão, Wolfsburg, lança campanha de combate a homofobia

A situação de segurança se torna ainda mais grave quando há o caso de abusos reais. Em 33% das entrevistadas afirmaram já ter sofrido algum caso, fazendo com que uma em cada quatro delas optarem por não viajar sozinhas.

A pesquisa ainda constatou que um em cada três viajantes LGBT já sofreu algum tipo de discriminação. 26% dos membros da comunidade alegaram não se sentir à vontade para revelarem suas orientações sexuais. Considerando os viajantes de uma maneira geral metade afirmou não receber orientações vindas da empresa sobre o seu destino antes do embarque.