Medicina LGBT
Medicina LGBT (Foto: Reprodução)

A BD, empresa de tecnologia médica, tornou-se signatária dos dez Compromissos com os Direitos LGBT do Fórum de Empresas e Direitos LGBT. A assinatura do contrato aconteceu nesta sexta-feira (03), durante um evento na companhia que apresentou aos associados a importância de tornar a BD, ainda mais, diversa e plural.

Ao assinar os dez Compromissos com os Direitos LGBT, a BD se compromete a oferecer igualdade de oportunidades e tratamento justo a todas as pessoas, considerando sua orientação sexual e identidade de gênero. No dia a dia, isso refletirá na adoção de atitudes e políticas internas e externas que promovam a inclusão socioeconômica do grupo LGBT em todas as frentes que cabem à empresa, incluindo a abordagem da temática nas falas das lideranças, nos procedimentos de seleção, capacitação de gestores, realização de eventos e treinamentos temáticos, zelo na criação de campanhas para garantir linguagem apropriada, entre outros.

LEIA MAIS:


Emily Tarver revela namoro com colega de Orange Is The New Black: “Superapaixonadas”

Bemti lança”era dois”, primeiro álbum solo da carreira

Na BD, essas questões já são colocadas em prática desde 2016, quando surgiu o Comitê de Diversidade e Inclusão. Dois anos depois, a entrada no Fórum reforça a postura da companhia em tratar de assuntos relacionados à orientação sexual e identidade de gênero. “Esse é um passo importante para aprofundar políticas de inclusão no ambiente de trabalho, e até fora dele. Isso nos ajudará a atrair talentos, bons negócios, descobrir novos parceiros e a fortalecer práticas internas de engajamento de colaboradores”, afirma Wellington Nazaret, Gerente de Produto e Líder do Comitê de Inclusão e Diversidade.

Criado em março de 2013, o Fórum reúne grandes empresas em torno do compromisso com o respeito e a promoção dos direitos hteumanos de lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais. A organização tem como missão aprimorar práticas de gestão empresarial para inclusão, combater a homo-lesbo-transfobia e seus efeitos prejudiciais às pessoas, aos negócios e à sociedade e influenciar o meio empresarial e a população em geral na adoção de práticas de respeito aos direitos humanos LGBT.