Heberson Júnior Cavalcante de Almeida
Heberson Júnior Cavalcante de Almeida

A Polícia prendeu três homens acusados de assassinar o cabeleireiro Heberson Júnior Cavalcante de Almeida, de 23 anos, por ter “aversão a homossexuais”. O crime aconteceu em Dourados, MS, no início de agosto, mas os suspeitos só foram presos esta semana.

De acordo com informações divulgadas pelo Serviço de Investigações Gerais (SIG), da Polícia Civil, um dos presos, o mais velho deles, de 30 anos, teria confessado que esfaqueou Heberson “porque tem aversão a homossexuais”.

Ainda segundo o delegado Rodolfo Daltro, além de matarem o cabeleireiro, os criminosos ainda levaram pertences da vítima, como o carro.


Leia mais:

Igreja distribui “abraços de mães” a LGBTs expulsos de casa e rejeitados pelos pais

Thalita Carauta levanta bandeira em prol da visibilidade lésbica

Conforme informações das autoridades, Heberson foi encontrado morto abandonado em uma construção no último dia 13 de agosto. Três dias antes, no dia 10, ele teria sido rendido por um dos bandidos, de 23 anos, quando saía de uma conveniência onde tinha ido para comprar refrigerante.

O cabeleireiro foi mantido em cativeiro, enquanto outro ladrão levava o carro dele para Capitán Bado, no Paraguai.

Depois de roubarem o veículo da vítima, um dos criminosos o agrediu até a morte com golpes de faca. Ao ser questionado sobre o porquê de não gostar de pessoas LGBT, o acusado declarou que uma vez se desentendeu com um colega de cela que era gay, ao ficar preso por nove anos.

Três presos por latrocínio e homofobia contra cabeleireiro
Três presos por latrocínio e homofobia contra cabeleireiro (Reprodução/TV Morena)