O deputado Jair Bolsonaro
O deputado Jair Bolsonaro em entrevista ao Jornal Nacional (Foto: Reprodução/TV Globo)

O candidato à presidência Jair Bolsonaro (PSL) protagonizou um embate entre os apresentadores do Jornal Nacional, William Bonner e Renata Vasconcelos, durante a entrevista que concedeu ao jornalístico nesta terça-feira (28), ao ser questionado sobre declarações homofóbicas que o parlamentar fez em diversas ocasiões e o tornou como figura polêmica diante a comunidade LGBT.

O deputado disse ser contra o programa “Brasil sem homofobia”, apelidado de “kit gay”, que pretendia trazer o ensinamento de sexualidade e gênero nas escolas, e quis exibir um exemplar do livro de educação sexual voltado para crianças, mas foi repreendido pelos jornalistas, porque mostrar documentos seria contra as regras acordadas para a entrevista.

“Estão ensinando em algumas escolas que homem com mulher está errado”, declarou ele sobre o projeto lançado pelo Ministério da Educação, que setores mais conservadores da sociedade fizeram pressão e o governo acabou recuando.


O político ainda criticou a proposta do ensino de gênero para adolescentes afirmando que o ativismo LGBT pretendia condenar os héteros. Por trazer um tópico que combate a heteronormatividade, além de afirmar que um pai “não gostaria de ver o seu filho brincando de boneca.”

LEIA MAIS:

Homofobia foi motivo para morte de cabeleireiro gay em Dourados, no MS

Superliga feminina de vôlei da Espanha anuncia 1ª jogadora transexual

Bolsonaro ainda pediu desculpas por suas frases homofóbicas, alegando que “foi um momento de temperatura alta”, mas disse que estava “defendendo as crianças em sala de aula”, e ainda completou afirmando que pais gays e mães lésbicas concordam com ele neste aspecto.

Logo após a entrevista, o presidenciável postou nas redes sociais recorrendo novamente ao discurso de que o material ensinava sexo. “Um dos livros que ensinam sexo para crianças nas escolas que a Globo não quis mostrar”, escreveu.