Senador norte-americano John McCain
Senador norte-americano John McCain (Foto: Senado dos EUA /Divulgação)

Aliado da causa LGBTQ, o senador norte-americano John McCain morreu neste sábado (25), aos 81 anos,vítima de complicações de um câncer cerebral que estava em tratamento. A morte aconteceu um dia depois que a sua família decidiu parar com o tratamento da doença. O político deixa sete filhos, incluindo três de um primeiro casamento.

Ex-piloto da Guerra do Vietnã, o parlamentar vinha prestando apoio a comunidade LGBT saiu em defesa dos militares transgêneros, após a decisão de Donald Trump de retirá-los das Forças Armadas do país no ano passado. “Qualquer membro do exército que cumpra os padrões médicos e de prontidão deve ser autorizado a servir – incluindo aqueles que são transexuais”, disse McCain em um comunicado na ocasião.

LEIA MAIS:

Em 2015, McCain ganhou as manchetes quando apoiou Barack Obama na nomeação de Eric Fanning, que é abertamente gay, para ser o secretário do Exército.


No entanto nem sempre foi assim, por muito tempo McCain Ele se mostrou defensor do “Don’t Ask, Don’t Tell”, que obrigou os soldados a esconder sua identidade sexual , e convocou a votação para permitir que os gays atuem abertamente nas Forças Armadas dos EUA como um “dia triste” em 2010.