Quatro transexuais, sendo duas brasileiras e duas italianas, foram presas pela Justiça da Itália acusadas de explorarem e manterem em condições análogas à escravidão trinta transexuais brasileiras.

A prisão da quadrilha aconteceu em Pisa, a 380km de Roma, e faz parte de uma investigação de dois anos conduzida pela promotora pública Paola Rizzo, que investigava o esquema em que as mulheres trans eram obrigadas a se prostituir nas ruas de Pisa, Migliarino e no município de Vecchiano.

Leia mais:


100 mulheres travestis e transexuais ganham curso de capacitação profissional do Google

Mariah Carey paga salário semanal de R$ 40 mil ao namorado

Caso quisessem se libertar das criminosas, as vítimas teriam que desembolsar R$ 90 mil. Segundo as autoridades, esse dinheiro serviria para pagar outras transexuais brasileiras, como forma de persuasão para elas aceitarem a proposta de ir morar na Itália.

Com informações da agência de notícias Ansa.