A cantora Daniela Mercury no FIG (Foto: Felipe Souto/FundarPE/ Divulgação)

A manifestação política feita por Daniela Mercury durante o seu show no Festival de Inverno de Garanhuns, em Pernambuco, sobre o veto do Governo do Estado para a apresentação da peça “O Evangelho Segundo Jesus: Rainha do Céu” causou o descontentamento no prefeito Izaías Regis (PTB-PE), que acusou a cantora de incentivar crianças e adolescentes a “serem gay”.

De acordo com o político, as palavras da baiana desrespeitaram o município. “O que [ela] fez com minha cidade não foi uma coisa normal para uma pessoa que tem sensibilidade e família”, afirmou ele em entrevista ao portal Leia Já.

LEIA MAIS:


Conheça o garoto de 11 anos que é drag queen e tem o apoio da mãe

Justiça condena boate a indenizar trans proibida de usar banheiro feminino

Além do protesto, o prefeito também criticou como Daniela utilizou uma foto junto com a sua esposa, a jornalista Malu Verçosa, “em cima da outra”, nas palavras do prefeito. “Eu não tenho nada contra pessoas trans e LGBT, não sou homofóbico, agora eu acho que o limite de respeito tem que existir, não pode incentivar as crianças e adolescentes [a serem gays ou trans]”, disse.

Sobre o fato de censurar o espetáculo teatral no qual retrata Jesus como uma mulher trans, o fato aconteceu a pedidos da população.“A família cristã de Garanhuns, da qual eu sou o representante mor, pede a mim que não permita a peça no centro cultural e não vou permitir”, disparou.

DEIXE UMA RESPOSTA