Mulher trans Dany Coluty filma momento no qual foi retirada do banheiro feminino pela polícia
Mulher trans Dany Coluty filma momento no qual foi retirada do banheiro feminino pela polícia (Foto: Reprodução/Youtube/Montagem G1)

Um mulher transexual passou por momentos constrangedores é humilhantes na noite desta terça-feira (17) ao ser expulsa de um banheiro feminino, da Praça Antônio Raposo, em Araruama, na região dos Lagos do Rio. Em um vídeo publicado em suas redes sociais Dany Coluty mostra o momento no qual foi retirada algemada por três guardas, sendo um deles uma mulher cis.

De acordo com a vítima, ela foi abordada primeiro pela policial que pediu para que ela deixasse voluntariamente o local. Como se recusou, outros agentes foram chamados, e neste momento, um dos homens agiu de forma truculenta e chegou a agredi-la. “Eu estava na praça e fui ao banheiro, que sempre usei. Desde criança”, afirmou Dany em entrevista ao jornal O Globo.

“Quando eu estava lá uma guarda municipal veio falar comigo com um tom arrogante, pediu para eu me retirar e disse que o meu lugar era o banheiro masculino. Como me recusei, chegou um guarda com um tom agressivo, me xingando, tentando me agredir. Disse que ali não era o meu lugar, que se eu não saísse por bem iria sair na marra”, continuou.


LEIA MAIS:

Porto Rico autoriza alteração de nome e gênero em documentos oficiais de pessoas trans

Flagra de KJ Apa exibindo volume avantajado durante malhação viraliza nas redes sociais

Dany contou ainda que um dos guardas puxou o seu cabelo em meio à confusão que por revidar a agressão acabou sendo encaminhada para 118ª DP de Araruama. “Me senti tão humilhada e agredida que revidei. A praça estava cheia, com crianças, idosos e pessoas de todo tipo. Alguns tentaram me defender. Se não tivesse ninguém o guarda ia socar a minha cara”, disse.

A Secretaria de Segurança, Ordem Pública e Defesa Civil do município informou que abriu um processo administrativo para apurar o caso e que a moça foi autuada por desacato à autoridade, além de ressaltar que a corporação preza pela igualdade de direitos e repudia qualquer tipo de discriminação.