O humorista Evandro Santo [Foto: Divulgação]

O humorista Evandro Santo lembrou a reação da população de sua cidade Uberaba (MG) quando se assumiu gay durante entrevista recente ao The Noite. O ex-integrante do Pânico contou que sofreu muito preconceito na época que falou abertamente sobre a sua sexualidade.

“Imagina você em Uberaba (MG) em 1986, 1987. Era terrível, jogavam goiaba na cabeça o dia inteiro. Mas quando me assumi com 12 (anos) pararam de fazer bullying comigo. Arrumei uma molecada mais velha para andar, aí nem ligava, dublava Madonna, fazia o diabo”, confidenciou ao apresentador Danilo Gentili.

Não só na escola, Santo também afirmou que sofria com a repressão dentro de casa. “A mãe chamava a atenção, falava ‘engrossa a voz. Imita o Zico e não a Madonna’. Meu padrasto arrumou emprego ‘de homem’ para mim: pegar pneu, oficina mecânica, supermercado…”, contou.


LEIA MAIS:

No Fortal, Claudia Leitte recebe bandeira LGBT e declara: “A diversidade engrandece”

Nanda Costa explica porque demorou para assumir namoro com Lan Lanh

Ainda no bate-papo, o ator garantiu que costumava ser mais assediado antes de ser famoso. ”Só (mandava) no começo dos anos 2000, no bate-papo do Uol, mandava muito. Fiz nudes terríveis: pelado em cima de uma bola vermelha, pendurado em uma escada, de costas em uma lata de lixo…”, confessou.

Evandro ainda compartilhou um momento íntimo no qual se sentiu mexido por uma mulher, a panicat Aline Minerato durante uma matéria para o humorístico. “Porque eu fiz uma cena de beijo com ela”, explicou.

DEIXE UMA RESPOSTA