A vereadora Marielle Franco
Marielle Franco (Foto: Reprodução/Instagram)

O documentário que retrata a trajetória da vereadora Marielle Franco (PSOL-RJ), assassinada em março no centro do Rio de Janeiro, que apesar das investigações ainda não foi solucionado, já recebeu a autorização da Agência Nacional do Cinema (Ancine), através da L.C. Barreto.

De acordo com a coluna de Patrícia Kogut, do jornal O Globo, o valor de R$ 864.380,20 foi disponibilizado para a produção, que já começa a ser negociada, de maneira sigilosa, para que a obra seja exibida na televisão.

LEIA MAIS:


Lulu Santos compõe música para novo namorado e vai apresentar no The Voice

Milhares de pessoas reivindicam por direitos na Parada da Cidadania LGBT de Campo Grande

A mesma produtora também pretende rodar um longa metragem, desta vez, do gênero ficcional com a participação de atores, que deve iniciar os trabalhos no ano que vem.

Quarta vereadora mais votada no Rio de Janeiro pelo PSOL, nas últimas eleições, Marielle Franco foi brutalmente assassinada enquanto saía de um evento sobre combate ao racismo, na Lapa. No momento da ação, estava no carro junto a sua assessora e o motorista Anderson Pedro Gomes, que também foi atingido pelos disparos e não resistiu.  A polícia trabalha com a hipótese de execução como principal motivação para o crime. Mulher, lésbica e negra, ela ficou conhecida pelas suas pautas a respeito dos Direitos Humanos.