Bandeira trans
Bandeira trans (Foto: Reprodução)

Um novo levantamento divulgado pela Associação Nacional de Travestis e Transexuais (Antra) e o Instituto Brasileiro Trans de Educação (IBTE) reafirma a realidade brasileira de ser o país campeão mundial que mais mata transgêneros ao revelar que apenas neste primeiro semestre de 2018, mais de 80 travestis e transexuais foram vítimas de assassinatos em diferentes regiões.

A pesquisa mostrou que somente na região nordeste foram registradas 33 mortes de pessoas trans neste período. Logo em seguida aparece o sudeste com 25 homícidios. Em terceiro lugar está o Norte com 10 e o centro-oeste e Sul, aparecem empatados com nove ocorrências.

LEIA MAIS:


PM que sofreu preconceito por beijar homem no metrô relata homofobia em corporação

Após sucesso de reality, RuPaul pode ganhar talk show na TV americana

Para chegar até estes dados, a Antra levou em consideração os episódios relatados na imprensa, redes sociais, e além dos baseados em informações levantadas através das redes que a entidade atua. Por conta disso, acredita-se que os números devem ser ainda maiores.

A responsável pelo estudo, a pesquisadora Bruna Benevides afirmou que o número é muito elevado e mostra um aumento preocupante dos crimes de ódio nos últimos anos. “Podemos dizer que 86 assassinatos é um índice elevado e não temos visto nenhuma ação efetiva do governo para combater a violência que vem crescendo cada vez mais nos últimos 10 anos contra a nossa população.” As informações são do site NLucon.