Protesto por direitos LGBT Rússia
Protesto por direitos LGBT Rússia (Foto: Reprodução/Pinterest)

56 militantes de extrema-direita foram presos pela polícia ucraniana, neste domingo (17), ao tentarem impedir a realização da Gay Pride, a Parada do Orgulho LGBT de Kiev, capital do país, que reuniu 5 mil pessoas no desfile que aconteceu sob forte proteção das autoridades locais.

O grupo conta com aproximadamente 150 ultradireitistas que se deslocaram até o evento na tentativa de impedir o desfile, além de enfrentar a polícia com gases lacrimogêneos.

LEIA MAIS:


 Ativista LGBT é detido após fazer protesto em praça na Rússia

“Já saí com mulher”, revela Deborah Secco

“Há necessidade de polícia, senão as pessoas vêm, interrompem, atacam”, explicou Liza, 19 anos, citada pela Agência France Presse (AFP). “Não é assim que deve passar-se num país civilizado“, acrescentou.

A homofobia é muito forte na Ucrânia, porém, as autoridades estão determinadas a demonstrar tolerância, nomeadamente o que permite a realização de manifestações em prol do Orgulho LGBT, ao contrário do que acontece com a Rússia, sua vizinha.