Parada do Orgulho LGBT de São Paulo
Parada do Orgulho LGBT de São Paulo (Foto: Divulgação/APOLGBT)

O Airbnb encomendou um estudo que apontou quais são os principais destinos do mundo para celebrar uma Parada do Orgulho LGBTI+ inesquecível em 2018. O estudo analisou as 100 cidades que recebem os maiores públicos nos eventos pela diversidade em todo o mundo e descobriu quais delas se saíram melhor em cinco categorias, incluindo vida noturna e paquera.

A cidade de São Paulo foi a grande campeã no quesito “Parada do Orgulho LGBT+”. Com um público em torno de 3 milhões, o desfile tem a pompa de ser um dos melhores do mundo. A maior metrópole da America Latina, desbancou lugares como Toronto (Canadá),  Nova York (EUA), Madri (Espanha), Londres (Inglaterra), São Francisco (EUA) e Paris (França).

Na categoria paquera, Londres foi condecorada a maior. Dados compartilhados com o Airbnb pelo Tinder em maio de 2018, houve a descoberta que a capital britânica tem o maior uso per capita de perfis LGBTI+ no Tinder em todo o mundo. Quando o assunto é Vida Noturna, Nova York lidera o ranking dos melhores bares e clubes do mundo.


LEIA MAIS:

Após revogação, Bermudas volta atrás e legaliza novamente casamento homoafetivo

Netflix lança episódio final da série Sense8

A pesquisa também analisou a Igualdade de Direitos Matrimoniais, a qual apresentou um empate, entre Amsterdã, Roterdã e Utrecht, ambas na Holanda, primeiro país a legalizar o casamento homoafetivo no mundo, em 2001. Londres esta no topo quando o assunto é turismo, Los Angeles, Nova York, São Francisco e Tóquio vem logo atrás.

Quando é colocado na balança o pacote completo,  Nova York surge como a vencedora geral no estudo. A Big Apple não só oferece uma das maiores edições da Parada, como também tem uma agitada vida noturna, um ambiente de paquera movimentado, um longo histórico de igualdade de direitos matrimoniais e estatísticas impressionantes do Airbnb: a cidade que desencadeou o movimento do Orgulho Gay após os tumultos de Stonewall vai receber mais 27.000 hóspedes do Airbnb durante a Pride Week.