Anthony Avalos teria sido torturado e morto semanas depois dizer que gostava de meninos
Anthony Avalos teria sido torturado e morto semanas depois de dizer que "gostava de meninos" (Foto: Acervo Pessoal)

Um caso de homofobia brutal contra um menino de dez anos chocou a população dos Estados Unidos por ter a autoria da própria mãe e o padrasto. A motivação para o crime teria sido o menino dizer que “gostava de meninos”. A polícia de Los Angeles está investigando o ocorrido que teria a hipótese de tortura antes do assassinato.

A polícia local atendeu a um chamado de emergência, ao chegar lá, Heather Barron alegou que o filho Anthony Avalos havia sofrido uma queda. O menor apresentava lesões e marcas de queimaduras de cigarro por todo corpo que indicaria sessões de tortura as quais foi submetido. A criança foi socorrida, mas não resistiu aos ferimentos.

De acordo com o diretor do Departamento de Serviços para Crianças e Famílias da Cidade norte-americana, Brandon Nichols, o garoto havia dito que “gostava de garotos” semanas antes da morte e os investigadores analisam se a homofobia foi um fator determinante para o crime.


LEIA MAIS:

Travesti é assassinada com tiros na cabeça e ombro em Salvador

Prefeitura de São Paulo ganha iluminação colorida para celebrar o Orgulho LGBT

O casal já havia respondido por pelo menos 16 denúncias de abuso infantil. Sendo 13, queixas que envolviam Anthony e outros três tiveram como vítima os outros filhos do casal. Os registros foram feitos em 2013, ano que a vítima tinha sido sexualmente abusada por um dos seus avôs.

Como se não bastasse, Brandon conta que o casal negava alimentação às crianças, que também sofriam agressões dos responsáveis, como o fato de pendurá-los de cabeça para baixo e também comerem lixo.

DEIXE UMA RESPOSTA