Presidente Frank-Walter Steinmeier em cerimônia de desculpas por perseguição a homossexuais
Presidente Frank-Walter Steinmeier em cerimônia de desculpas por perseguição a homossexuais (Foto: picture alliance/dpa/R.Hirschberger)

O presidente da Alemanha, Frank-Walter Steinmeier pediu perdão a comunidade LGBT, neste domingo (03), pelos crimes nazistas e as perseguições sofridas durante décadas, que se estenderam também ao período do pós-guerra. A retratação aconteceu durante a cerimônia em Berlim que marca os dez anos do monumento às vítimas homossexuais do regime nazista.

O chefe de Estado lembrou que gays e lésbicas foram perseguidos mesmo após o anúncio do fim da Terceiro Reich, tanto na Alemanha Ocidental como na Oriental, assinado no dia 08 de maio de 1945, data formal da derrota da Segunda Guerra Mundial.

LEIA MAIS:


Gretchen traz seu rebolado para trio da Parada do Orgulho LGBT de SP

Youtuber Luba se monta de drag pela primeira vez durante cobertura da Parada LGBT de SP

“O país deles fez com que eles esperassem demais. Por isso, eu peço hoje perdão por todo o sofrimento e injustiça e pelo longo silêncio posterior”, disse Steinmeier.

O governo alemão aprovou no ano passado uma lei anulando as condenações impostas desde o fim da Segunda Guerra Mundial baseadas no Parágrafo 175 do antigo Código Penal da Alemanha, prevendo indenizações de cerca de 3 mil euros para cada condenado, além de 1.500 euros para cada ano de privação de liberdade sofrida, para o total de 5 mil pessoas prejudicadas que ainda vivem.