Mariela Castro
Mariela Castro (Foto: Reprodução/Instagram)

A diretora do Centro Nacional Cubano de Educação Sexual, Mariela Castro afirmou durante a coletiva de imprensa do lançamento de eventos relacionados a Marcha contra a Homofobia e transfobia que fará pressão para que o casamento homoafetivo seja incluído na reforma constitucional, com previsão para começar em julho.

A sobrinha de Fidel Castro ainda ressaltou a importância de haver punições mais duras para os autores de crimes relacionados a violência contra pessoas lésbicas e bissexuais, transexuais e transgêneros. As declarações foram feitas nesta terça-feira (08).

LEIA MAIS:


Casal gay recebe cartilha anti-gay ao invés de panfletos de casamento

Jovem brutalmente agredido em Fortaleza diz que violência teve motivação homofóbica

A reforma constitucional de Cuba deve abranger uma gama de mudanças modernizadoras da constituição de 1976, projetada para uma economia de comando estilo soviético. As reformas vem sendo introduzidas de maneira mais contida pelo governo comunista e tentando incentivar mais a interação com a economia global.

Gays e lésbicas sempre foram perseguidos no país, nos anos que seguiram a revolução de 1959, liderada pela família Castro, porém desde a década de 1990, as políticas anti-LGBT estão sendo extintas e já a proibição de discriminação entre orientação sexual e identidade de gênero.

DEIXE UMA RESPOSTA