Grindr
Grindr [Foto: Divulgação]

O Tribunal do Texas condenou uma quadrilha acusada de utilizar o aplicativo de encontros Grindr para atrair vítimas e praticar agressões homofóbicas. O júri decidiu que cada um dos envolvidos cumprirá pena de até 20 anos em regime fechado.

O grupo era formado por Anthony Shelton, de 20 anos; Nigel Garret, 21; Chancler Encalade, 20 e Camerin Ajuduah, 19, e costumava agir da seguinte forma: após conseguir os endereços dos seus alvos, se passando por possíveis pretendentes, ia até o local, onde roubava, agredia e humilhava a vítima verbal e fisicamente com ofensas homofóbicas. As informações são do site Pink News.

LEIA MAIS:


Assassinos de travesti em Campo Grande são condenados, juntos, a mais 26 anos de prisão

Kansas e Oklahoma aprovam leis anti-adoção de casais LGBTs

À imprensa, John Gore, um dos assistentes do Departamento da Divisão de Direitos Civis, afirmou que “a Justiça não pode tolerar qualquer tipo de crime baseado em ódio e preconceito, seja por orientação sexual, identidade de gênero, raça, cor, religião ou etnia. Todos estes tipos de crime devem ser investigados e punidos”, disse.

DEIXE UMA RESPOSTA