A atriz travesti Cláudia Celeste
A atriz travesti Cláudia Celeste (Foto: Divulgação)

Primeira travesti a atuar em novelas no Brasil, a atriz Cláudia Celeste morreu neste domingo (13), aos 66 anos, no Rio de Janeiro, vítima de complicações decorrentes de uma pneumonia. A informação foi confirmada por familiares e amigos nas redes sociais.

Nascida no bairro do Irajá, Claudia despontou para a carreira artística na década de 1970, no teatro com o espetáculo “O Mundo é das Bonecas”, primeiro show de travestis a ter licença do governo desde o início da Ditadura Militar em 1969.

“Antes, ninguém sabia que eu era travesti, nem Daniel Filho. Ninguém nunca me perguntou! E, como ficou muito ti-ti-ti, tiraram os capítulos que eu já tinha feito”, contou a atriz em entrevista à revista Geni, em 2013.


LEIIA MAIS:

Globo pode vetar personagem trans de próxima novela de Aguinaldo Silva

Estado de Palm Springs registra surto de Sífilis entre LGBT

Em 1977, ela gravou uma participação no folhetim “Espelho Mágico”. O convite partiu do diretor Daniel Filho, depois de assisti-la na revista “Transelê no fuetê” e resolveu incorporar o número no folhetim. Sem saber que se tratava de uma travesti, a intérprete contracenou com Sônia Braga, mas as cenas foram cortadas assim que a notícia caiu na mídia.

Em 1988, entretanto, fez história novamente ao ser a primeira travesti a fazer uma novela do início ao fim em “Olho no Olho” , da extinta TV Manchete. Em 2016, foi homenageada na primeira edição do prêmio TransArte, evento que trata a identidade de gênero e sexualidade. Celeste era casada com o ator Paulo Wagner.

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA