Mastectomia
Mastectomia (Foto: Reprodução/Internet)

A justiça de Santa Catarina deu parecer favorável a um transexual que teve as despesas da cirurgia de mastectomia negadas pelo seu plano de saúde por considerar a intervenção de cunho estético.

De acordo com o desembargador Jorge Luís Costa Beber, o procedimento cirúrgico faz parte do processo de transição de gênero, que é ofertado pelo Sistema Único de Saúde (Sus), que não oferece este tipo de cirurgia que não só realiza o desejo de beleza, como também acredita que a retirada dos seios nesses casos é responsável por melhorar o bem-estar psicológico do indivíduo.

LEIA MAIS:


“Tem muita semelhança comigo”, afirma Jesuíta Barbosa sobre personagem drag em supersérie

Políticos conservadores derrubam votação de Projeto de criação do Dia do Orgulho LGBT no Rio

“É óbvio que existe, também, uma faceta estética no resultado da cirurgia, mesmo porque o abalo psicológico impingido a quem sofre os efeitos da transexualidade relaciona-se a divergências entre a forma como o indivíduo se enxerga e suas características físicas e anatômicas”, analisou o desembargador Costa Beber