Protesto por direitos LGBT Rússia
Protesto por direitos LGBT Rússia (Foto: Reprodução/Pinterest)

Uma gangue russa ameaçou agredir e até mesmo matar fãs de futebol LGBT que seguirão para o país europeu para assistir à Copa do Mundo 2018, no próximo mês. A denúncia partiu do grupo “Pride in Football” – aliança dos amantes de futebol LGBT -, que recebeu e-mails com os avisos após publicar nas redes sociais que estaria formando um grupo para assistir aos jogos do mundial.

As ameaças que chegaram à caixa de entrada do grupo contém mensagens alertando que os LGBTs que viajarem ao país serão caçadas e esfaqueadas. Um dos líderes do Pride in Football afirmou que “tem gente desse grupo dizendo que se der de cara conosco, vai nos esfaquear. Denunciamos às autoridades e as investigações para descobrir a autoria já estão em andamento”, relatou.

LEIA MAIS:


Carona é opção 75% mais econômica para ir à Parada LGBT de São Paulo, diz app

Faculdade cearense abre processo administrativo por denuncia de homofobia por professor

Apesar das ameaças, o Pride in Football não se intimidou com as informações de ódio e ainda pretende fazer protestos dentro dos estádios se possível. “Nós não devemos ter que nos controlar para não sermos agredidos ou agirmos de maneira diferente do que somos. Não estou enfiando minha língua na garganta de ninguém!”, disse Joe White.

“Estou agindo como uma pessoa normal, indo a um país para ver o futebol e viver a Copa do Mundo. Se for possível, pegaremos sim nossas bandeiras do arco-íris para mostrar nos estádios que torcedores LGBTs de futebol existem!”, completou.

DEIXE UMA RESPOSTA