Protesto LGBT Quênia
Protesto LGBT Quênia (Foto: Reprodução/Pinterest)

Uma gangue de criminosos foi presa pela polícia do Quênia acusada de forjar flagrantes falsos entre homens gays pelados na cama para tirar fotos da situação e depois chantageá-los, já que a prática da homossexualidade no país é altamente condenável.

De acordo com o site local Tuko, três dos quatro envolvidos no crime foram detidos após a denúncia de uma das vítimas, atraída por um amigo que conheceu no Facebook para um apartamento localizado no Kakete, subúrbio próximo à capital Nairóbi. E logo percebeu que o encontro se tratava de uma emboscada. 

Segundo relato, o rapaz foi forçado a deitar nu na cama com um dos chantagistas e ainda teve pertences como notebook carteira e celular foram roubados. Depois o deixaram ir embora com o intuito de chantageá-lo mais tarde. Apesar das ameaças, a vítima procurou a polícia que prendeu o bando.


LEIA MAIS:

Com namorado, Federico Devito usa réplica de vestido da Britney Spears em premiação

Surfista chinês sai do armário e assume ser gay: “Ato de coragem”

Apesar da coragem, deste homem vale lembrar que muitos não procuram dar queixa do ocorrido com medo de serem presos, já que a homossexualidade é considerada crime no país com penas que podem chegar até 14 anos de reclusão.

Diante da denúncia, a polícia conseguiu encontrar o apartamento no qual o bando se encontrava no momento da prisão. Porém, um dos acusados conseguiu fugir no momento da abordagem e outros três pegos foram levados para a prisão.