Bandeira trans
Bandeira trans (Foto: Reprodução)

O júri popular que irá julgar Leandro da Silva Martins e Wesley Rocha Reis Bento, acusados de matarem a facadas, a travesti Penélope, em 2015, acontece nesta quinta-feira (03), na 1ª Vara do Tribunal do Júri, de Campo Grande, no Mato Grosso do Sul. As informações são do Correio do Estado.

De acordo com o Tribunal de Justiça do estado, a vítima utilizava o bairro Universitário como ponto de prostituição, e por ser a profissional do sexo mais velha no local, cobrava R$ 10 das outras prostitutas, porém a prática gerava muitos conflitos.

Como forma de vingança, dois travestis que trabalhavam no ponto, chamaram os seus companheiros, Leandro e Wesley para desafrontá-la. Durante a discussão, um dos acusados segurou Penélope pelo pescoço, enquanto outro desferiu 15 golpes de faca, que atingiram o tórax, as coxas, costas e nuca.


LEIA MAIS:

Tesoureiro do Vaticano, George Pell, será julgado por abuso sexual

Travesti é morta a tiros em bairro de Fortaleza

Após o ataque, a travesti foi abandonada na rua ainda com vida e tentou pedir ajuda, mas acabou não resistindo aos ferimentos e morreu próximo ao local que costumava encontrar os seus clientes.

Juiz titular da 1ª Vara, Carlos Alberto Garcete de Almeida, mandou os acusados para júri popular pelo crime de homicídio qualificado pela motivação torpe, pelo meio cruel e pelo recurso que dificultou a defesa da vítima.