Turismo LGBT
Turismo LGBT (Foto: Rerodução/PIxabay)

Uma pesquisa encomendada pelo aplicativo de relacionamento gay Grindr revelou que pessoas da comunidade LGBT em todo o mundo costumam gastar em torno de US$ 5 trilhões. Desta fatia US$ 965 bilhões apenas entre os norte-americanos.

O levantamento também analisou o comportamento turístico dos millenials, geração de pessoas que nasceram entre a década de 1980, e constatou que 40% deles costumam arrumar as malas a cada três meses por diversão, enquanto 24% costumam viajar todos os meses. 39% planejam suas viagens com 1 a 3 meses de antecedência, já 35% levam 3 a 6 meses para se organizar.

Ao todo, aproximadamente 36 milhões de viajantes internacionais são LGBT. 61% disseram que o destino de companhias aéreas gay-friendly são importantes; 75% afirmaram que locais com um site LGBTQ, os tornam mais propensos a visitar.


Os destinos preferidos são Itália, França, Havaí, Nova York, Austrália, Reino Unido, Grécia, Espanha, Japão e Las Vegas. E em lugares como este, 52% preferem utilizar aplicativos móveis para orientá-los nas férias. 51% usam apps de sites de viagens e 31% dos gays acessam ferramentas de encontros enquanto estão de férias.

VEJA MAIS:

Em cena inédita, gays de O Outro Lado do Paraíso se encontram em jantar

Diplomata brasileiro morre após supostamente participar de sessão sadomasoquista gay

Dentre os programas mais procurados dos LGBT durante as viagens, estão 49% na vida noturna, 46% listando cultura e culinária como interesse, enquanto 39% optam por museus e passeios turísticos. 30% estão atrás da natureza e do ar livre, já 18% gostam de visitar vinícolas e cervejarias. 76% preferem cruzeiros.

Sobre as hospedagens, 71% escolhem hotéis de grande nome para passar suas estadias, 26% ficam em boutiques e 29% em ações domésticas. 50% querem hotéis modernos e divertidos, enquanto 52% e 55% das pessoas querem hotéis e casas compartilhadas no centro da ação da vida noturna, respectivamente.

DEIXE UMA RESPOSTA