Fachada loja Primark
Fachada loja Primark (Foto: Reprodução)

Uma das lojas de fast fashion mais famosas do Reino Unido, a Primark está apurando uma denúncia feita por uma cliente que alegou ter sido impedida de utilizar o provador feminino por um segurança de uma das filiais por ser transgênero.

A acusação chegou ao conhecimento da companhia, após um rapaz relatar o caso em seu perfil no Twitter. “Querida @primark, uma amiga trans foi proibida de acessar o provador feminino por um funcionário de vocês na loja de Coventry. Ela foi forçada a mostrar seu passaporte onde inclusive já consta o gênero feminino corrigido! Depois disso ainda, nenhuma desculpa foi dada à ela pelo constrangimento. O que vocês tem feito pra impedir a transfobia entre os funcionários de vocês?”

LEIA MAIS:


Professora vence processo contra irmão de aluno que a acusou de incentivar homossexualidade em aula

Carrefour é condenado a indenizar cliente que foi chamado de “bicha” por funcionária

Em resposta, a Primark informou que está investigando o acontecido, além de afirmar que repudia todo tipo de preconceito e discriminação e que todos são bem vindos nas suas lojas independente da sua orientação sexual e/ou identidade de gênero.

Esta não é a primeira vez denúncia do tipo que a marca sofre. Em 2015, outra cliente transgênero também foi barrada por um funcionário no provador feminino.

Homem acusa loja Primark de transfobia contra mulher trans que tentou usar provador feminino
Homem acusa loja Primark de transfobia contra mulher trans que tentou usar provador feminino (Foto: Reprodução/Twitter)

DEIXE UMA RESPOSTA