WhatsApp
WhatsApp (Foto: Reprodução/Internet)

O indonésio Petrus Ualubun, de 21 anos, foi preso na região leste de Jacarta, na Indonésia, nesta terça-feira (17), acusado de matar o seu amigo Ali, de 33, após ele tê-lo adicionado em um grupo LGBT de WhatsApp.

De acordo com a polícia local, o suspeito armou uma emboscada para a vítima, que foi assassinada ao chegar a um falso encontro no qual o agrediu e o matou. “O suspeito ficou bravo com a vítima após este o adicionar a um grupo LGBT”, afirmaram as autoridades ao jornal local Kompas.

LEIA MAIS:


Candidatos à presidência do Paraguai são unânimes contra casamento gay

Tio acusa escola de discriminar sobrinho por ter “comportamento afeminado”

O corpo de Ali foi encontrado por transeuntes, em um beco apresentando marcas de golpes de faca no pulso, têmpora e olho esquerdo. As nádegas, peito e coxa direita também foram atingidas.

Apesar de não ser considerada crime, a homossexualidade tem recebido forte apreensão no país, muitos gays são condenados a penas por causa da lei anti-pornografia que tem feito forte operação policial sobretudo em locais como saunas e clubes. Entretanto, homossexuais podem ser açoitados em praça pública na província de Aceh.

DEIXE UMA RESPOSTA