A drag queen Gloria Groove
A drag queen Gloria Groove (Foto: Divulgação)

A drag queen Gloria Groove lembrou do seu processo de descoberta enquanto gay e a importância de se identificar enquanto afeminada, em entrevista ao canal Hotel Mazzafera, do youtuber Matheus Mazzafera.

“Como uma pessoa que cresceu como uma criança afeminada e quando você cresce e entende que é através desta palavra que existe o poder, que existe o se sentir isso mesmo, as coisas mudaram para mim. Desde então eu tenho percebido a minha volta, as pessoas que estão no processo de se identificar, enquanto ‘bicha’, se sentir bem dentro desse espectro, porque é diferente, a gente demora para entender através da leitura da sociedade”, afirmou.

Sobre a rejeição de alguns gays a outros com trejeitos femininos, Gloria acredita que não é apenas uma questão de preferência. “O que mais me irrita é quando a gente está lá no aplicativo e a pessoa falou: ‘Nada de gordos, afeminados e orientais, nada contra é só meu gosto’ Mas você sabe que o seu gosto é socialmente construído, né?”, disse.


Leia Mais:

Assista a 1ª chamada divulgada da estreia do programa de Pabllo Vittar no Multishow

Nicolas Prattes exibe mala pesada em foto de sunga com cenário paradisíaco

“O importante é a gente ver que identidade de gênero não conversa com orientação sexual, que não conversa com genitália, que não conversa com o jeito que você se porta. O fato de você se aceitar bicha quando você ver a ‘poc’ de shortinho e crooped e ver o gay boyzão, o gay do Instagram, da academia…você pode se deixar levar e pressupor isso aqui faz isso ou aquilo. Mas a quantidade de coisas entre o céu e a terra que o homem desconhece…”, completou.

Ela ainda finaliza: “A conclusão é muito isso: você é o que é. Acho que não só entre quatro paredes, mas na vida, você não precisa condizer com o que você transparece. Contanto que não esteja invadindo o espaço de ninguém, nem desrespeitando, tá tudo em casa.”