Estudante de Antropologia trans Kaio Lemos
Estudante de Antropologia trans Kaio Lemos (Foto: Acervo Pessoal)

O cearense Kaio Lemos, de 38 anos, se tornou o primeiro homem transgênero do Brasil a passar pela cirurgia de mastectomia, para retirada dos seios, através dos custos do Sistema Único de Saúde (SUS). A intervenção ocorreu no Hospital das Clínicas de Fortaleza na segunda-feira (09).

Em entrevista ao site NLucon, o estudante de antropologia contou que a intervenção o fez realizado e bem com o próprio corpo e seguro na vida social. “É uma vitória e uma conquista para mim. A cirurgia é importante no meu conjunto simbólico de construção, que se faz necessário na minha subjetividade, na alimentação dela, e se torna necessária na alimentação de construção social na linguagem social”, afirmou ele.

Apesar de passar por todo o processo de transição exigido para poder se submeter ao procedimento, que inclui laudo psiquiátrico e endocrinologista, que durou dois anos, Kaio acredita que o método é muito burocrático, além de tender a patologização, o que é massificamente criticado por ativistas dos direitos trans.


Leia Mais:

Justiça concede mudança de gênero na certidão de criança interssexual no Acre

Médico gay sofre fratura craniana após ataque homofóbico ao sair de bar LGBT na Austrália

“É um processo de reclusões e restrições sociais. Almejamos um dia, assim como aconteceu com o direito ao nome, que as cirurgias sejam feitas por autodeterminação. Pois é o meu corpo com os meus significados e com aquilo que eu me identifico”, opinou.

Ainda na publicação, o rapaz confessou os seus maiores desejos após passar pela recuperação: andar de bicicleta sem camisa e tomar banho de mar, sem problemas. “Acho que vou fazer isso no mesmo dia: vou para a praia de bicicleta”, contou.

DEIXE UMA RESPOSTA