Bandeira trans
Bandeira trans (Foto: Reprodução)

A Universidade Federal do Sul da Bahia (Ufsb) começa a oferecer a partir do próximo semestre letivo, cotas destinadas a homens e mulheres transgêneros em cursos de graduação. Um feito inédito para uma instituição de ensino no país.

A medida irá disponibilizar uma vaga extra para cada turma, ou seja, não afetando o número reservado para aqueles que não foram avaliados através do sistema. A prática só é acionada quando não há representantes trans entre os selecionados, da mesma maneira como ocorre em caso de cotas para indígenas e quilombolas.

Leia Mais: Joelma volta a ser detonada após coletiva sobre show em boate LGBT


Apesar de já existir o método em cursos de mestrado e doutorado, está é a primeira vez que as cotas são oferecidas para cursos de graduação. “O que entendemos é que pessoas trans precisam ter acesso a políticas públicas para ter voz. Por esta razão estamos oferecendo condições para essas pessoas possam se mobilizar, dentro do espaço da universidade”, afirmou a reitora Angélica Guimarães da Luz.

Para concorrer às vagas, o candidato deve se declarar transexual, travesti ou transgênero. Uma comissão será instalada na Universidade para avaliar possíveis fraudes nas inscrições a fim de contar vantagem no processo seletivo, como já acontece, no caso de pretos e pardos.