O rapper Hiran
O rapper Hiran (Foto: Divulgação)

Com a grande visibilidade conquistada por nomes como Rico Dalasam, o mercado cada vez mais abre espaço para rappers que defendem causas LGBTs em suas causas. Sob a benção de B Negão, Hiran lança o seu primeiro álbum com nove faixas que fala sobre os desafios que as minorias enfrentam no Brasil, como um manifesto de luta pelos menos favorecidos.

Negro, gay e baiano, o cantor estreia com a música “Tem Mana no Rap”, que também foi lançada com um videoclipe dirigido por Og Marcelo, que traz uma mistura do minimalismo com a imagens de cultos de religiões de matriz africana. A canção que também dá nome ao disco, mostra como se o caminho para a comunidade LGBT entrar neste cenário fosse aberto.

Leia Mais: Transformista Luna Glam vence o Miss Amapá Gay Universo 2018


“Eu produzi tudo ao redor dela. Tinha medo de não ser aceito e acabava não sendo eu mesmo – por exemplo, fui cantor de MPB e backing vocal. Ano passado, me senti devastado. No estúdio, pude ter liberdade e ‘cuspi’ essa música”, contou ele ao jornal Correio*.

Das nove músicas que fazem parte do álbum, três apresentam participações especiais de Vandal, em Allowed; Galf, na Escapar; e Don Maths em Baile de Idea. Hiran já tem dois shows marcados em São Paulo, ambos com B Negão nos próximos dia 30, na capital, e 31, no Galpão Busca Vida, na Bragança Paulista.

 

DEIXE UMA RESPOSTA