Princesas da Disney
Princesas da Disney [Foto: Divulgação]

Com base nas novas configurações que moldam a sociedade atual, uma nova campanha encabeçada pela Planned Parenthood, entidade ligada às Organizações das Nações Unidas (ONU), foi lançada nesta semana com a sugestão de criar novas princesas da Disney, que reflitam mulheres empoderadas, donas de si e dos seus corpos.

Em seu perfil no Twitter, a organização defende uma heroína transexual, por exemplo, outra que decidiu fazer um aborto ou que tenha pró-escolha (quando se mostra favorável à interrupção da gravidez), uma imigrante ilegal e sindicalista.

Com forte teor feminista, a ação dividiu opiniões nas redes sociais ganhando muitos compartilhamentos dos seus apoiadores, enquanto acumulou duras críticas dos mais conservadores. A Disney não se pronunciou sobre o caso.


Leia Mais:

Estado de Maryland aprova lei que proíbe cura gay em menores de idade

Chamada de “Lésbica desqualificada”, Cynthia Nixon transforma insulto em slogan de campanha política em NY

Vale lembrar que uma outra campanha iniciada na internet há um tempo, sugeria que a princesa Ana, da animação Frozen fosse retratada como lésbica e pudesse engatar um namoro com outra mulher. A história chegou aos ouvidos de uma das criadoras do desenho que garantiu discutir a ideia com outros envolvidos.

Recentemente na série The Forces of Evil , também da Disney, um garoto se traveste de princesa para derrotar a vilã, que acaba desmascarando-o em frente a outras meninas que o defendem ser uma mulher mesmo com sexo biológico masculino e a liberdade para não se adequar a padrões como a depilação.

DEIXE UMA RESPOSTA