Dupla atingiu com pedradas até a morte travesti em Goiás
Dupla atingiu com pedradas até a morte travesti em Goiás (Foto: Murilo Velasco/G1)

O Ministério Público de Goiás (MP-GO) condenou por meio de júri popular dois homens a 13 anos de prisão por matarem a pedradas a travesti Allan José Calaça Júnior, de 27 anos. O crime aconteceu em julho de 2015, quando, segundo a polícia, a vítima foi chamada para fazer um programa, levada para um local ermo e assassinada.

A decisão, que cabe recurso, aconteceu na última quarta-feira (28), através do 4° Tribunal do Júri, que reconheceu os réus como culpados por crime qualificado por motivo torpe e crueldade.

Leia Mais: Primeira mulher lésbica a casar na Austrália morre 48 dias após união


Na época, a polícia informou que a travesti foi abordada pelos assassinos em uma rotatória da capital. A dupla chegou em um caminhão e a convidou para um programa, realizado no baú do caminhão. Após manter relações sexuais, eles tiveram um desentendimento e saíram do veículo brigando.

Os condenados apedrejaram a travesti até a morte e abandonaram o corpo, encontrado horas depois pela Polícia Militar. Um dos autores do crime que dirigia o caminhão alegou que tomou a medida extrema por vingança, por Allan ter supostamente jogado uma pedra no carro dias antes.

DEIXE UMA RESPOSTA